Três meses após cirurgia, Daniel Hernandes volta ao tatame

Três meses depois de passar por cirurgia para reconstruir o tendão supra-espinhoso do ombro esquerdo, o judoca Daniel Hernandes, da Equipe Banco Cruzeiro do Sul, retomou os treinos no tatame. “Parecia um iniciante. Mas logo comecei a fazer alguns movimentos, fui voltando a me mexer melhor. Sei que não será fácil, mas logo estarei de volta às competições”, diz Daniel, confiante.

O atleta, da categoria pesado (+100 kg), se machucou no dia 30 de maio, durante a disputa da etapa de São Paulo da Copa do Mundo de Judô, válida pelo ranking que vai definir os judocas para a Olimpíada de Londres, em 2012. Depois de vencer as duas primeiras lutas por ippon, Daniel se contundiu nas quartas de final, no combate diante do polonês Janusz Wojnarowicz.

Apesar de ter perdido competições importantes para o ranking, o judoca garante que seus planos não mudaram: vai buscar a vaga para Londres e a medalha olímpica. “Vida de atleta é assim mesmo. Cai e levanta a toda hora. Eu não desisto, não. Meu sonho olímpico continua de pé e vou fazer de tudo para torná-lo realidade”, garante. “Mesmo sem competir, ainda estou em 15º lugar no ranking mundial, entre os 22 judocas que vão à Olimpíada, e sou o brasileiro mais bem ranqueado da minha categoria.”

Para ganhar ritmo de competição, Daniel vai disputar o Campeonato Paulista, em novembro. Depois, em dezembro, parte para a Ásia, em busca de mais pontos no ranking. “No início de dezembro (dias 3 e 4) tem a etapa da Copa do Mundo na Coreia, em Suwon. De 11 a 13, o Grand Slam de Tóquio e, logo em seguida, o Grand Prix da China (dias 17 e 18), em Qingdao”, enumera. “Posso ter perdido uma batalha, mas a guerra não acabou. Só estando fora para ver o quanto é difícil ficar longe dessa vida do judô, parece um vício.”

O calendário do Circuito Mundial de Judô compreende 26 eventos, todos valendo pontos para o ranking mundial, que vai definir os judocas que participarão da Olimpíada de Londres, em 2012. A partir de maio de 2010, todas as competições contam pontos na disputa pela vaga para os Jogos.

Na Copa do Mundo, a medalha de ouro significa 100 pontos; a de prata, 60; e a de bronze, 40. No Grand Slam, 300 (ouro), 180 (prata) e 120 (bronze). No Grand Prix, 200 (ouro), 120 (prata) e 80 (bronze).

Daniel Hernandes é atleta do Clube Pinheiros e também faz parte da equipe do Banco Cruzeiro do Sul.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: